Como conversar com seus filhos sobre a EM

23 . Jun . 2017   /  Inspir(ações)

Uma vez que você teve o diagnóstico de EM, pode demorar algum tempo para ajustar seus sintomas e saber o que esperar de sua doença. O mesmo vale para seus filhos. Eles podem estar ainda menos seguros do que esperar do que você. Podem se sentir assustados, tristes, irritados ou desamparados com seu diagnóstico.

A coisa mais importante a fazer é falar com seus filhos sobre como a EM afeta você e ver o que eles estão pensando. A comunicação aberta pode ajudá-lo a aliviar seus medos, responder suas perguntas e deixá-los saber como você se sente.

Iniciando a conversa

Antes de se sentar com seu filho, pense em sua idade, nível de maturidade e quanto você acha que ele pode entender sobre sua doença. Se você tem mais de uma criança, pode ser útil falar com elas individualmente para que você possa fazer a discussão certa para cada uma delas.

Não fique surpreso se seus filhos já saibam que algo aconteceu antes de falar sobre isso com eles. Crianças de todas as idades são boas em saber quando as coisas estão diferentes. Mas você pode querer perguntar-lhes como eles gostariam de aprender mais sobre a EM. Eles podem começar lendo um livro sozinho ou com você, assistindo a um vídeo ou indo com você ao médico.


Reações da criança à esclerose múltipla

Às vezes, as emoções normais como medo, tristeza ou culpa podem levar a mudanças no comportamento de uma criança. Aqui estão alguns sinais a serem observados no seu filho:

Mais foco em seu próprio corpo e bem-estar
Não querer passar tempo com amigos íntimos
Maior ansiedade e estresse
Tentar agir como mais velho ou mais novo do que ela é
Mal comportamento em público
Ataques de raiva
Esperar até que você esteja cansado no final do dia para pedir coisas (como ajudar com a lição de casa)
Ir mal na escola
Ter pesadelos, problemas para adormecer ou fazer xixi na cama

Você pode querer obter ajuda profissional para seu filho se ele:

Está deprimido
Tem problemas de comportamento severo ou aqueles que não desaparecem
Não consigue dormir ou tem pesadelos por mais de um mês
Não tem fome ou come demais
Perde o interesse pelo trabalho escolar ou hobbies
Tem mudanças de humor ou mudanças em sua personalidade

O que você pode fazer

Encontre alguém com quem seu filho possa conversar sobre EM. Você não precisa ser a única pessoa em quem pode se apoiar. Um relacionamento confiável com um amigo ou familiar pode ser útil.

Compartilhe o que você está sentindo, tanto fisicamente quanto emocionalmente. Não tenha medo de iniciar a conversa. As crianças apreciam quando você abre a porta.

Tenha discussões abertas e honestas. As crianças nem sempre estão prontas para conversar. Deixe-a saber que você estará pronto sempre que ela quiser. Lembre-a de que não há nada de errado com a forma como está se sentindo.

Inclua seu filho nas decisões familiares. Se você está dividindo as tarefas domésticas ou indo ao hospital para tratamento, é importante envolver seu filho em algumas decisões. Isso lhe dará uma sensação de controle e pertencimento.

Procure ajuda profissional se você precisar. Existem muitos conselheiros e grupos de apoio que podem ajudar sua família a se adaptar às mudanças que você enfrenta. 

Não se esqueça, crianças têm muita capacidade de entendimento, confie nelas também!

E conte com a AME sempre!

Fonte: Redação AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

Tags: confiança , esclerose múltipla , família , filhos , maturidade

mail link